Papá, tu és um hacker noob!

“Papá, tu és um hacker noob!”, disse o Leonardo depois de me ter visto na rua agarrado a um telemóvel, sem me aperceber que ele e a sua turma estavam a passar à minha frente de camioneta. Ele e um amigo estavam a dar alcunhas aos adultos por quem passavam. A maioria foi apelidada deContinue a ler “Papá, tu és um hacker noob!”

Para que os meus filhos possam ocupar espaço

Tenho doze anos e à minha frente estende-se um longo átrio. Há janelas grandes à direita e à esquerda, por onde a luz do sol entra timidamente. O meu destino fica do outro lado, mais de cem mosaicos quadrados brancos de distância. Estou sozinho. Sinto frio na barriga. Encho-me de coragem. Dou os primeiros passosContinue a ler “Para que os meus filhos possam ocupar espaço”

É como dar uma feijoada a um bebé

“Papá, quando é que eu tenho um telemóvel?” A pergunta começou aos oito anos e era inevitável. Rodeado de crianças com telemóveis nos recreios, crianças com telemóveis à mesa e até com telemóveis enquanto andam atrás dos pais na rua, o Leonardo começou a ansiar por aquele paralelepípedo mágico que enfeitiça os adultos. Tal comoContinue a ler “É como dar uma feijoada a um bebé”

Tu és o Sócrates

Um dia regressava a pé do dentista com o meu filho Leonardo, quando ele me disse: Tu és o Sócrates. Fiquei surpreendido. Estar-me-ia a acusar? Talvez se sentisse enganado pelas minhas promessas de pai no dentista: Não vai doer nada. Talvez estivesse zangado com as minhas falhas no pagamento da sua semanada. Mas não, nãoContinue a ler “Tu és o Sócrates”

Papá, já podemos ver desenhos?

Recreio. O Leonardo é ladrão. Numa jigajoga arriscada, tenta escapar-se de um polícia. Cara contra um poste. Cai no chão. O sangue jorra-lhe da boca. A professora toma conta da situação e ordena uma busca geral. O dente desaparecido é encontrado no meio da terra e é prontamente colocado num copo com leite. Por meroContinue a ler “Papá, já podemos ver desenhos?”

Um pai também muda fraldas

Nunca percebi porque é que há homens que não trocam fraldas e há mulheres que não os deixam fazê-lo. Hoje, que é dia do Pai, celebro a atual liberdade masculina que me permitiu mudar fraldas, dar banho, secar rabos, fazer de vaca e de gato, cantar músicas de embalar, dançar a Dança das Gatinhas, pentearContinue a ler “Um pai também muda fraldas”

Quando um pai dá sopa aos filhos ao pequeno-almoço

Abro os estores e deixo o sol de verão inundar o quarto. Sento-me na borda de uma das camas das crianças, escolho um livro, abro-o e começo a ler uma história. Meio estremunhadas, meio excitadas, elas levantam-se e desejam-me boa noite. O Odranoel é o primeiro a vestir-se: t-shirt do avesso com a etiqueta viradaContinue a ler “Quando um pai dá sopa aos filhos ao pequeno-almoço”

O que eu gostaria de ter sabido quando fui pai

Quando ainda não tinha dois anos estive desaparecido durante uma hora na praia. Depois de muito stress e angústia dos meus pais e amigos que me procuravam por todo o lado, fui encontrado longe, dentro de um toldo, a brincar tranquilamente com outra criança. Este episódio que ficou registado para sempre na história da famíliaContinue a ler “O que eu gostaria de ter sabido quando fui pai”

Um pai a descobrir como lidar com as emoções dos filhos

Lembro-me de estar sentado, à espera, nas urgências do hospital da CUF das Descobertas. Do outro lado da sala estava uma mãe desesperada com o comportamento irrequieto e barulhento do seu filho. No meio do ambiente de doença, a energia viva daquela criança era demais e a mãe sentia a pressão social dos outros pais,Continue a ler “Um pai a descobrir como lidar com as emoções dos filhos”