Viver o Montanha Pico Festival

Abro os olhos e cerca-me a escuridão da gruta. Estou sentado no chão sobre o biscoito — o rasto negro que a lava deixou — ao meu redor, escuto apenas as gotas de água que não cessam de cair na rocha. O sopro do saxofone surge como o vento que fustiga a montanha e entãoContinue a ler “Viver o Montanha Pico Festival”

A Estrela de Natal

Começou por ser apenas uma receita tirada de uma revista de culinária. Uma lista de ingredientes, farinha, açúcar, manteiga, nozes… Um conjunto de instruções, amassar, dispôr em camadas, levar ao forno… Um bolo saboroso, mas só isso, um bolo saboroso. A Romi transformou-o em muito, muito mais. A primeira vez que provei a Estrela deContinue a ler “A Estrela de Natal”

O significado da vida

Eu tinha sete anos quando um dia, fechado na casa-de-banho grande (aquela cuja banheira não estava atafulhada de tralha), me surgiu uma pergunta que nunca mais me largaria ao longo da vida: como é não existir? A minha mente inexperiente escorregou na pergunta e dei por mim a cair aos trambolhões para um abismo escuroContinue a ler “O significado da vida”

Entre escritas e reescritas

Entre escritas e reescritas do romance que está a ser moído neste cérebro-coração-barriga-e-dedos, surgiram vários textos pseudo-poéticos. São pensamentos prosaicos sobre os tempos modernos que andamos a viver. Para todos os que gostam de me ler, aqui têm cinco textos diferentes do habitual. São como flores do nosso cato do luar – floresceram quando menosContinue a ler “Entre escritas e reescritas”

A filha a ensinar o pai

Por vezes é difícil compreender o que vai na cabeça dos meus filhos. Os seus mundos internos são cada vez mais vastos e complexos. Os convites para passear nos seus territórios tornaram-se escassos. Já não conheço tão bem as zonas à sombra, nem o cheiro das flores que nascem no meio das ervas daninhas. AchoContinue a ler “A filha a ensinar o pai”

Carta ao meu filho adolescente

O nosso filho mais velho entrou oficialmente na adolescência! Por estarmos em confinamento, este ano não foi possível organizar uma festa com os seus amigos. Sinto a tristeza da ausência desse momento. As festas de aniversário dos nossos filhos são sempre momentos especiais em que podemos contemplar a vida que habita neles: como é paraContinue a ler “Carta ao meu filho adolescente”

Anseio pelo dia em que nos voltaremos a abraçar

Há muito tempo que não acordava sem vontade de sair da cama. Da cozinha chegava o som dos pratos a serem colocados na mesa. Alguém estava a tomar duche. Parte de mim queria amuar, dizia, ok, já chega, está bom, não quero mais… As rodas dentadas da nova rotina familiar estavam em marcha e aContinue a ler “Anseio pelo dia em que nos voltaremos a abraçar”

Falar da minha tristeza com os meus filhos

Foi durante uma aula de Pilates que me apercebi da tristeza que me invadira. À segunda-feira costumo ir treinar antes de regressar a casa. É um momento importante, durante o qual estimulo a consciência do meu corpo e invisto na minha saúde. Há uns tempos estava deitado no reformer quando me apercebi de que estavaContinue a ler “Falar da minha tristeza com os meus filhos”

Crianças e jogos eletrónicos

Uma das reflexões que tento fazer regularmente, enquanto pessoa e enquanto pai, é como encontrar um equilíbrio saudável entre a tecnologia e a humanidade. Se para mim é difícil encontrar este equilíbrio e dou por mim a desconectar-me do que está a acontecer à minha frente, porque é mesmo importante responder àquele comentário no WhatsApp,Continue a ler “Crianças e jogos eletrónicos”

Olha, eu a lançar um livro

Sentei-me sozinho no palco, microfone do lado esquerdo, três exemplares e uma cábula do lado direito. Estava nervoso. Senti necessidade de explicar porque é que estava sozinho. Queria ter uma conversa com quem tinha vindo, olhá-los de frente, não queria que assistissem a um diálogo. Dei as boas-vindas e apercebi-me de como ainda estávamos distantes,Continue a ler “Olha, eu a lançar um livro”